Postagens recentes

Apresentação

Apresentação
Thay, 30 anos, publicitária e geminiana. Ou como diria Raul: uma metamorfose ambulante.

3 marcas que trabalham com Marketing Inclusivo

domingo, 27 de junho de 2021 /


Os gigantes do mercado estão mostrando cada vez mais adesão às causas sociais e se comprometendo com ações de apoio aos valores de seus clientes.

Depois de conhecer um pouco sobre o Marketing Inclusivo, chegou a hora de falarmos sobre algumas marcas que apostaram nessa empreitada e se tornaram cases de sucesso.

É provável que você já tenha visto algum destes exemplos, mas vale a pena relembrar:


NUBANK



Mais do que defender a causa e colocar um filtro equivalente nas fotos das redes sociais, a empresa precisa abraçar verdadeiramente aquilo que está defendendo!

Um exemplo interessante é o do Nubank, que fez muito mais do que mudar as cores pela diversidade sexual! A organização tem políticas internas que respaldam pessoas LGBTQIA+ e ainda oferece oportunidades profissionais para pessoas de todos os gêneros e sexualidades.

Na campanha lançada para celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+, em junho de 2019, eles colocaram sua equipe em evidência. O foco foi exibir depoimentos sobre como é a rotina de um LGBTQIA+ dentro de uma empresa que o respeita.


DOVE



Outro exemplo de marketing inclusivo foi realizado pela Dove na campanha do seu shampoo da linha “Reconstrução Completa”.

No conteúdo, vemos a diversidade de mulheres – seja nos aspectos raciais, estéticos ou das preferências de cada uma para usar o cabelo que quiser!

CACIQUE



O último exemplo que apresentaremos é o da marca de sutiãs plus size Cacique. A campanha surge em contraponto às campanhas da marca Victoria’s Secrets – que apelidou suas modelos de “angels” e mantém um padrão de corpo magro e manequins menores.

Na campanha “I’m no angel” observamos corpos de diferentes manequins, além de depoimentos de mulheres reforçando uma mensagem positiva acerca dos diferentes tipos de corpos.


Quais os resultados de um marketing mais positivo e humanizado?

As empresas podem ajudar a divulgar mensagens positivas, empoderar pessoas e tornar o dia de alguém mais agradável. Gerando identificação, satisfação e felicidade.

Ao se engajar mais com seus conteúdos, os clientes e usuários se sentirão inspirados a compartilhar o seu material e aumentar o alcance do seu Inbound.


Conhece outras marcas que também apostaram no Marketing Inclusivo e se deram bem? Conta para mim. 😄


{} Gostou desse conteúdo? Comente e compartilhe com seus amigos.

Marketing Inclusivo: você sabe o que é?

/



Gostaria de começar esse post te fazendo uma pergunta: você sabe o que é Marketing Inclusivo?

Nos últimos anos, os conceitos de diversidade e inclusão passaram a fazer parte da estratégia de marketing e divulgação de muitas organizações.

O marketing inclusivo é uma modalidade do marketing focada em criar conteúdos, anúncios e estratégias voltadas para indivíduos independentemente de seu gênero, etnia, situação socioeconômica, orientação sexual, idade, entre outros fatores.

Ainda que seja fundamental criar personas e delimitar públicos-alvo para os quais as estratégias de marketing serão direcionadas, muitas vezes eles levam em conta estereótipos e arquétipos que não são inclusivos, gerando maus resultados e uma percepção de marca negativa por parte dos consumidores. É justamente em busca de impedir essas limitações que esse tipo de marketing atua.


5 princípios básicos do Marketing Inclusivo

Tom do Conteúdo


O tom de um conteúdo é, de modo geral, o estilo dele. A cara do material, incluindo o sentimento que ele quer passar, suas características e opções estéticas. Comunica além do sentido das palavras.

Basta pensar que, conforme o seu tom, um conteúdo com o mesmo tema que outro pode soar ofensivo, enquanto o outro não. Para definir o tom do conteúdo duas noções são fundamentais:

- Objetivos daquele material;
- Características da persona;

Buscando estas referências em seu planejamento, o tom mais adequado deve ficar mais claro para você.


Linguagem


A linguagem já diz mais respeito ao modo como você fala cada coisa. É a escolha das palavras, frases, gírias, referências, metáforas…Tudo que compõe o conteúdo e comunica as informações que você deseja passar.

Mas isso também não é algo de outro planeta! Afinal, você provavelmente não conversa da mesma maneira com seu namorado(a) e com o pessoal da empresa, certo?

Isso acontece pois a linguagem deve ser adaptada conforme o grupo social que desejamos atingir. Novamente, é uma questão de conhecer as personas e se comunicar como elas.

Um ponto importante de ressaltar acerca da linguagem no marketing inclusivo é pensar a própria língua de maneira crítica.

Atualmente, sabemos que inúmeros termos que eram aceitos antigamente têm uma origem nefasta. São expressões de cunho racista, homofóbico, machista e outras construções ofensivas da linguagem.

Elas devem ser eliminadas do seu vocabulário imediatamente. Por isso, a melhor solução é criar um guia de redação contendo todas as expressões problemáticas que você identificar. Sempre seguida de uma alternativa adequada para que possa ser substituída.


Representatividade


Tá aí uma palavra que temos ouvido bastante. Representatividade na arte, no mercado, no ensino. O fato é que, agora, reconhecemos a importância e o impacto de um indivíduo se ver representado nas grandes mídias da sociedade.

Quando nos identificamos com alguém, criamos esperança e nos inspiramos para atingir uma realidade possível. Por esse motivo é tão importante buscar diversificar os modelos positivos de representação das pessoas.

Quanto mais incluída a pessoa se sente, mais confortável e vinculada à marca ela fica. Hoje em dia, personalização é tudo – e isso não pode ser alcançado se o lead não se enxergar dentro da sua marca.

É uma questão de pertencimento e inclusão, ou seja: tudo que o novo marketing precisa promover!


Contexto


Contexto é tudo! Uma frase ou um conteúdo lançado em diferentes épocas ou nichos comunicará coisas completamente diferentes. Logo, estar ligado à realidade das personas é – novamente – tão importante.

Você precisa saber o que ela pensa, como ela age e o que está acontecendo ao redor dela naquele momento. Isso serve para buscar referências potentes que causem uma identificação instantânea e positiva – mas, também, para tocar em pontos sensíveis para aquela comunidade e gerar recusa ao invés de aproximação. Portanto, cuidado!


Desconstrução de Estereótipos


Se tem uma coisa que ninguém mais aguenta são os estereótipos já tão batidos em nossa sociedade!

O asiático inteligente, a mulher maternal e cuidadosa, o homem todo poderoso, o corpo perfeito…

Não é que eles sejam proibidos, mas devem ser usados com muita cautela e reflexão. O ponto é que toda essa necessidade da recuperação de um marketing inclusivo surgiu justamente pela insistência nesses estereótipos durante anos.

Insistir neles é reforçar uma mensagem que, em muitos casos, já soa ultrapassada e incômoda para boa parte dos consumidores.

Tente não resumir pessoas e grupos aos lugares mais comuns. Explore novos modelos de representatividade e observe como você passará a atingir pessoas mais reais – com as quais suas personas possam se identificar de verdade!


Qual a diferença entre Marketing de Inclusão e Marketing de Nicho?

Para entender por completo o significado desta modalidade de marketing, é interessante diferenciá-la do marketing de nicho. Afinal, algumas pessoas ainda confundem os dois conceitos. Enquanto o marketing de nicho visa alcançar uma fatia específica da população, o de inclusão visa ampliar o seu leque. Não é possível atuar de forma inclusiva focando em apenas um padrão de consumidor.


Vale a pena investir em Marketing Inclusivo?

Os benefícios que o marketing de inclusão pode trazer para uma empresa são vastos e atingem tanto sua imagem quanto seus consumidores. Aqui estão alguns exemplos:

Maior visibilidade para a Marca

Em função de sua amplitude, as estratégias de marketing inclusivo atingem mais pessoas e, consequentemente, trazem uma maior visibilidade para a marca. Isso, por sua vez, gera uma maior representatividade e contribui para um mercado inovador e heterogêneo.


Clientes Satisfeitos

É inegável que ampliar o acesso a bons produtos e soluções faz com que clientes fiquem mais satisfeitos. Para além disso, eles também se sentem respeitados e valorizados, o que cria uma sensação de pertencimento em relação à marca e, consequentemente, otimiza seus resultados.


Parcerias

O marketing inclusivo atrai parcerias para a empresa e, com isso, novas oportunidades. Contudo, para garantir as vantagens citadas, não basta seguir os passos acima. É preciso investir na manutenção de um posicionamento progressista e igualitário por parte da marca, comprometendo-se com os novos clientes que surgirão.


Agora que você conhece um pouco mais sobre esse tipo de Marketing, aproveite para se inspirar em 3 marcas que utilizam essa estratégia e se tornaram um case de sucesso!



{} Gostou desse conteúdo? Comente e compartilhe com seus amigos.
Tema feito com amor por Peachy